carregando...

Você provavelmente já sabe muito sobre Pinot Noir: é frutado e originalmente francês, geralmente leve e frequentemente delicioso, e está na moda, portanto, muitas vezes caro.


Mas você está pronto para elevar o seu conhecimento para o próximo nível? Pinot Noir não é apenas um vinho que inspira paixão em seus fãs, é também uma uva com estilo e história especiais. A próxima vez que você abrir uma garrafa de Pinot, aqui está o que você deve saber:


1. Pinot Noir = Cone de Pinho Preto
Os antigos Vignerons (viticultores) eram pragmáticos no seu trabalho, então eles davam nomes diretos às mais variadas uvas. O Pinot em Pinot Noir simplesmente se refere à forma de cone de pinho dos cachos da uva que é típica desta variedade. Noir é francês para preto. Portanto, Pinot Noir é a tradução francesa para variedade de uva preta com cone de pinheiro..


2. Os Romanos e os Monges foram os primeiros "Pinot-Lovers" rs
Acredita-se que a Pinot Noir é uma das mais antigas uvas utilizadas para se fazer vinho que sobreviveu até hoje. De fato, ela pode ser apenas algumas gerações distantes de uvas selvagens antigas. Pinot Noir foi documentado na França desde a época romana. Já no século I d.C., os romanos haviam invadido a maior parte da Europa e espalhado seu gosto por vinho, incluindo os produzidos com Pinot Noir.

Quando os governantes europeus tornaram-se católicos durante a Idade Média, a produção de vinho passou a ser controlada principalmente pela Igreja. Na Borgonha, os Monges Cistercienses, que produziam vinho para uso em seus sacramentos, foram os principais vinicultores durante séculos. Na busca constante em fazer os melhores vinhos com a qualidade digna da celebração de Deus, eles dividiram precisamente e classificaram os vinhedos. Pinot Noir era a variedade mais fina, reconhecida como sendo muito superior à outra uva localmente popular, Gamay.

Após a revolução francesa em 1789, os vinhedos foram confiscados da Igreja e redistribuídas para os locais, parcialmente explicando por que os vinhedos de Borgonha são tão divididos hoje.


3. Pinot Noir = Terroir
Talvez porque é uma uva antiga em uma forma relativamente primitiva, a expressão de uvas Pinot Noir e vinhos varia muito, mesmo com a menor variação nas condições de crescimento. Diferenças ligeiras no solo, exposição ao sol, ou microclima (diferentes correntes de ar na vinha, por exemplo) resultam em vinhos muito diferentes. Outras variedades de uva como o Cabernet Sauvignon não conseguem igualar este nível de variação.
Porque os monges da Idade Média estavam obcecados com a qualidade do seu vinho, e porque tinham uma uva tão sensível, eles mapearam a variação do solo de muitas de suas vinhas. Eles identificaram e classificaram com precisão quais terrenos eram mais adequados para cultivar as melhores uvas Pinot Noir, inventando os conceitos de Premier Cru e Grand Cru.
Você pode dizer que eles foram os primeiros vinicultores do mundo a impulsionar os conceitos de vinhos de terroir e vinhos de vinhedos únicos para este nível de precisão.


4. Pinot é uma uva muito difícil de produzir
Devido aos cachos apertados (forma de cone de pinho, lembre-se?), fungos e carunchos estão à vontade nas condições úmidas e confortáveis entre as uvas. Isso torna as uvas suscetíveis à doença. A uva tem uma pele fina o que não facilita a proteção contra pragas. Esta pele fina também torna as uvas mais sensíveis ao calor e dessecação, e mais propensas a rebentar depois de uma chuva. As bagas de Pinot Noir (assim como os vinhos que produzem) geralmente têm taninos baixos, uma proteção natural contra pragas e radiação UV.
Estas características tornam o Pinot Noir uma uva difícil de produzir. Mais do que outras uvas, ela prospera em solo bem drenado e com poucas produções. Ela precisa de condições secas, mas não tão secas, e principalmente ela ama um clima fresco.


5. Pinot Noir é fresco, literalmente
Você pode ter notado que países quentes como Argentina, Espanha, and África do Sul não são famosos por seus vinhos Pinot Noir. Há uma boa razão para isso - o Pinot Noir gosta de climas frescos. Seus sabores sutis ficam "cozidos" dentro da pele fina da uva por causa do calor e sol.
Borgonha e Champagne, onde Pinot Noir prospera, são também, de longe, as regiões mais frias onde se produz vinho francês. As outras regiões europeias históricas produtoras de Pinot Noir têm também clima frio: Alemanha (onde se chama Spatburgunder), Suíça, ou o norte dos Alpes italianos (Pinot Nero).
Nos países mais quentes do Novo Mundo, os produtores tiveram que encontrar regiões com influência de resfriamento do ar frio e correntes oceânicas. Os exemplos famosos incluem Carneros e o Vale do Rio Russo na Califórnia, o Vale de Yarrana Austrália, o Casablanca Valley no Chile, ou a Walker Bayna África do Sul. Com um clima frio como um todo, a Nova Zelândia produz com sucesso o Pinot Noir em quase todas as suas regiões vinícolas.


6. Onde o Pinot Noir é Produzido?
Os 10 maiores países produtores de vinho e as suas superfícies vitícolas (2010 Anderson, K. e N. Aryal):

  1. França: 29.738 hectares (73.451 acres)
  2. Estados Unidos: 16.776 hectares (41.437 acres)
  3. Alemanha: 11.300 hectares (27.911 acres)
  4. Moldávia: 6.521 hectares (16.106 acres)
  5. Itália: 5.046 hectares (12.462 acres)
  6. Nova Zelândia: 4776 hectares (11.796 acres)
  7. Austrália: 4.690 hectares (11.584 acres)
  8. Suíça: 4.402 hectares (10.873 acres)
  9. Chile: 2.884 hectares (7.123 acres)
  10. Argentina: 1.802 hectares (4.449 acres)


7. Uma Família de Mutantes
Mais do que apenas uma variedade de uva, Pinot é uma família de uvas que são propensas a mutações frequentes que mudam suas características como cor, taninos e sabor. Cada identidade genética que foi selecionada por suas características particulares é chamada de clone. Mais de 50 clones de Pinot Noir são oficialmente reconhecidos na França, em comparação com os 25 clones para Cabernet Sauvignon, embora esta última é a mais extensivamente plantadas no país.

Clones famosos de Pinot Noir da Borgonha (por exemplo, Dijon ou Pommard) incluem 115, 667 e 777.
Como Pinots sofrem mutação, eles deram à luz uma família de outras uvas de várias cores e sabores, incluindo Pinot Gris (cinza-pele, que significa ligeiramente rosa), Pinot Blanc (branca), ou Pinot Meunier.

8. O Efeito "Sideways"
O filme americano Sideways, (2004) com Paul Giamatti atuando como um aficionado do Pinot Noir e que odeia o Merlot, é creditado por ter feito Pinot Noir virar moda nos EUA e no resto do mundo. É verdade que a produção e o consumo de Pinot Noir aumentaram mundialmente desde então. Mais importante ainda, os vinhos Pinot Noir e sua variedade de expressões regionais produzidas em vinícolas especificas são agora reconhecidos por mais consumidores internacionais do que nunca.

No entanto, experimentos com e novas plantações de Pinot Noir precederam o filme por anos, senão décadas, na maioria dos países do Novo Mundo como a Califórnia, Austrália, Chile ou Nova Zelândia.
Alguns dos mais caros vinhos Pinot Noir franceses da Borgonha incluem: vinhos que ficaram famosos através de filmes.

9. O Pinot Noir mais digno de ostentação é o francês
You'll likely recognize the names of some of the most expensive French Pinot Noir wines from Burgundy:

  • Henri Jayer Richebourg
  • Domaine de la Romanée-Conti Romanee-Conti
  • Domaine Leroy Musigny
  • Domaine du Comte Liger-Belair La Romanee
  • Domaine de la Romanee-Conti La Tache Grand Cru Monopole
  • Domaine Faiveley Musigny


10. Alguns Grandes Vinhos Pinot Noir de Todo o Mundo
Se você está interessado em explorar um pouco de vinho Pinot Noir além do que você conhece em seu próprio país ou da França, eu selecionei alguns exemplos de todo o mundo que são particularmente populares:

  • Meiomi Pinot Noir, California
  • Kosta Browne Sonoma Coast Pinot Noir
  • Kistler Vineyards 'Kistler Vineyard' Sonoma Coast Pinot Noir, California
  • Ata Rangi Pinot Noir, Martinborough, New Zealand
  • Erath Pinot Noir, Oregon
  • Bollinger Coteaux Champenois La Cote Aux Enfants, Champagne, France
  • Veramonte Ritual Pinot Noir, Casablanca Valley, Chile
  • Weingut Daniel & Marta Gantenbein Pinot Noir, Graubunden, Switzerland
  • Yabby Lake Vineyard Pinot Noir, Mornington Peninsula, Australia
  • Bodega Chacra 'Barda' Pinot Noir, Rio Negro, Argentina
  • Cloudy Bay Pinot Noir, Marlborough, New Zealand